4.23.2017

AD Limianos garante para já a liguilha de acesso à 2ª divisão nacional.



Com apenas duas jornadas para terminar o nacional da terceira divisão, serie A, a equipa da AD Limianos com o triunfo em Campo por 7-4, alcançou desde já a presença da liguilha de promoção que será disputada pelos segundos classificados de cada serie do terceiro escalão.

A turma de Ponte de Lima que lidera a prova com quarenta e oito pontos, seguido do Porto B com menos um, tem uma vantagem de sete pontos para o terceiro classificado, o Académico que perdeu na Maia.
Resta agora saber quem termina em primeiro lugar, posição que permite subir directamente ao segundo escalão.
À AD Limianos para não depender de outros resultados tem de ganhar os seus dois jogos, em casa com o HC Maia e na ultima jornada em Matosinhos com o CRPF Lavra. Curiosamente Maia e Lavra lutam pelo terceiro lugar

Quanto ao Porto B, ate ao fim tem a tarefa teoricamente mais fácil, visto defrontar os últimos classificados, em casa com o Ola Mouriz, formação que não conquistou qualquer ponto e na derradeira ronda no Estrela Vigorosa que apenas soma seis pontos, curiosamente obtidos diante o Ola Mouriz.
Para além de tentar subir de forma direta com o primeiro lugar, a AD Limianos vai também procurar que Rui Silva seja o melhor marcador da serie.
Neste momento Rui Silva tem 61 golos contra os 46 de Nuno Paiva do Porto B.

Classificação atual
1º AD Limianos 48p
2º FC Porto B 47p
3º Académico 40p
4º HC Maia 40p

Ultimas jornadas
AD Limianos - HC Maia
FC Porto B - Olá Mouriz

CRPF Lavra - AD Limianos
Estrela Vigorosa - FC Porto B

foto: Cristina Teixeira

Nacional de juniores - OC Barcelos vence Infante Sagres



Depois de perder na primeira jornada em São João da Madeira, a equipa de juniores do OC Barcelos recebeu o Infante Sagres e venceu por 8-1.
Ao intervalo o OC Barcelos comandava o marcador por 2-0 com golos de Serafim Silva e Afonso Lima.
Sempre a comandar o jogo os minhotos chegaram ao 8-1 final com tentos de Pedro Silva (4), Francisco Campos Kiko (2). Pelo meio o Infante Sagres fez o tento de honra por Pedro Cardoso de livre direto.

Nos outros jogos já realizados, o Sporting venceu em Valongo por 10-4 enquanto que o Benfica jogou em casa com o Santa Cita e somou novo triunfo na prova por 6-2.
O encontro entre a Oliveirense e a Sanjoanense realiza-se dia 25 de abril.

Para a próxima jornada o OC Barcelos volta a jogar em casa desta vez com a Oliveirense, o Sporting no seu reduto com o Benfica, o Infante sagres desloca-se ao Santa Cita e o Valongo em São João da Madeira.

2ª Divisão - HC Braga muito próximo de festejar a subida à 1ª divisão



A equipa do HC Braga depois de vencer no reduto sempre difícil do HA Cambra por 4-3, está muito próximo de alcançar matematicamente o regresso ao escalão maior da modalidade.

Neste momento a cinco jornadas do final do campeonato, o HC Braga tem mais dez pontos que o segundo classificado, o Infante Sagres e mais um onze que a AA Espinho que ocupa o terceiro lugar.
É que até ao final da prova o HC Braga recebe nas Goladas precisamente o Infante Sagres e a AA Espinho.
Na próxima ronda o HC Braga recebe a ADJ Vila Praia, o Infante Sagres joga em Pessegueiro de Vouga e a AA Espinho desloca-se ao Minho, às Taipas.
Para alem de querer garantir o mais rápido possível a promoção, os bracarenses vao tentar terminar o nacional da segunda divisão sem qualquer derrota.
O calendário do HC Braga nas ultimas jornadas permite jogar três vezes com a ADJ Vila Praia, AA Espinho e Infante Sagres e fora duas deslocações aos Carvalhos e a Paços de Ferreira.

Por fim recordar que em Vale de Cambra o HC Braga alcançou o seu 19º triunfo na prova.
Na primeira parte registava-se uma igualdade a uma bola, com golos de Pedro Delgado e Miguel Oliveira.
Para a etapa final os minhotos comandaram sempre o marcador, obrigando o HA Cambra a correr atrás do marcador.
Os restantes golos do Braga pertenceram a Jorge Faria "Rato", Márcio Rodrigues e Ângelo Fernandes, enquanto que o Cambra marcou Daniel Oliveira e Tiago Pinho.

4.22.2017

Valença HC com erros defensivos perde com o Benfica


O Valença recebeu o Benfica e acabou por perder por 9-1, um resultado pesado muito por culpa de alguns erros defensivos por parte dos valencianos.
Basta referir que com apenas cinco minutos de jogo o Benfica ja vencia por 3-0, com três golos de João Rodrigues.
Esse inicio do Benfica foi determinante para que o Valença nunca consegui-se impor o jogo e lutar pelo resultado, apesar de ate ao intervalo não terem aparecido mais golos.
Na segunda parte o Benfica de forma tranquila chegou ao 7-0 aos 20' por João Rodrigues, Jordi Adroher, Valter Neves e Tiago Rafael.
O Valença fez o seu tento de honra logo a seguir por Luís Viana de grande penalidade mas ate ao final o Benfica ainda fez mais dois golos por Miguel Rocha e João Sardo.
Um resultado pesado para os valencianos mas que se deve a falhas defensivas que devem ser corrigidas nos próximos jogos para que a manutenção seja alcançada o mais rápido possível.
O Valença continua a somar quinze pontos e o Benfica com o triunfo passa a ter cinquenta e três.
Na próxima ronda o Valença joga em Valongo e o  Benfica recebe o Candelária.

foto : Miguel Fernandes

4.21.2017

Juventude de Viana vence OC Barcelos.




Grande derbi minhoto proporcionaram Juventude de Viana e OC Barcelos no Monserraate em partida antecipada da 20ª jornada do nacional da primeira divisão.
O triunfo pertenceu à Juventude de Viana por 3-0.

Separadas por sete pontos na classificação, o jogo foi disputado a grande ritmo com oportunidades de golo a surgirem em ambas as balizas.
A grande exibição de Edo Boch e Ricardo Silva fez com que só aos 23' aparecesse o primeiro golo e para a Juventude de Viana por Francisco Silva, fazendo o resultado ao intervalo.
Na segunda parte a equipa da casa ampliou aos ' para 2-0 por Nelson Pereira, num lance muito protestado pelos barcelenses.
Dos protesto Joca Guimarães viu dois cartões azuis, obrigado o OC Barcelos a jogar com menos dois jogadores.
Durante esse período a equipa da Paulo Pereira conseguiu impedir que a Juventude de Viana marcar-se.
Com três jogador em pista Luís Querido podia ter reduzido mas desperdiçou uma grande penalidade.
Logo a seguir foi a vez de Nuno Félix falhar um livre direto pela décima falta do OC Barcelos.
O 3-0 apareceu aos 9' por Tó Silva mas nem assim o jogo caiu de intensidade com o perigo a rondar as duas balizas.
Aos 14' Tó Silva teve a hipótese de aumentar o resultado mas Ricardo Silva defendeu um livre direto.
Até ao fim de bola parada Reinaldo Ventura podia ter reduzido o marcador.
Com este resultado a Juventude de Viana encurtou a diferença para quatro pontos em relação ao OC Barcelos.

4.20.2017

Riba d'Ave punido com derrota por inscrição irregular de delegado




0130/16 Riba D' Ave HC 3 - AJ Viana 2 
Riba D'Ave Hóquei Clube, foi punido(a) com, multa de €530,00 (quinhentos e trinta euros), Falta de Comparência, Derrota, Resultado de 0-10 e Zero Pontos, nos termos do(s) artigo(s) 61º 2 e artigo 20º 1,2,3, do Regulamento de Justiça e Disciplina. Inscrição Irregular ( Delegado ) 

0130/16 Riba D' Ave HC 3 - AJ Viana 2 
Riba D'Ave Hóquei Clube, foi punido(a) com, multa de €26,50 (vinte e seis euros e cinquenta cêntimos), nos termos do(s) artigo(s) 62º 1 alínea a), do Regulamento de Justiça e Disciplina. Início do Jogo - entrada tardia

fonte:FPP
foto ComUM

4.19.2017

Juventude de Viana continua com vazio diretivo




A Associação Juventude de Viana continua sem encontrar uma direção para dirigir os destinos do clube. A Assembleia Geral, que decorreu ontem terça-feira, para eleger os novos corpos dirigentes voltou a não ter solução e foi adiada pela quarta vez por não aparecer qualquer lista candidata.
Mário Guimarães, presidente da mesa da assembleia-geral da Associação Juventude de Viana, agendou nova reunião de associados para o próximo dia 27 de abril às 21h00 e volta a apelar à “comparência dos sócios”.
Recorde-se que a primeira tentativa para eleger uma direção para o clube de hóquei em patins de Viana do Castelo, aconteceu no passado dia 13 de março.
Fonte: Radio Geice 

4.18.2017

Rafael Fernandes " O HC Fão vai lutar até ao fim para jogar na 2ª divisão..."



Hóquei Clube de Fão impugna Campeonatos da 2ª Divisão Norte e da 3ª Divisão A

Entrevista gentilmente cedida ao Hóquei Minhoto pelo Jornal Noticias de Esposende.
Desde já obrigado ao Jorge Ferreira que vê no Hóquei Minhoto um excelente divulgador da modalidade no Minho e não só.

No seguimento da decisão favorável ao CARTaipense do Tribunal Central Administrativo do Sul, o HC Fão sente-se lesado na verdade desportiva e reclama subida à 2ª Divisão.

Rafael Fernandes, Presidente do HC Fão, falou pela primeira vez e em exclusivo ao Jornal Notícias de Esposende, sobre esta decisão.

HC Fão impugnou, esta terça-feira, 11 de Abril, os campeonatos da 2ª Divisão Norte e da 3ª Divisão A. O que espera com esta impugnação?
- Que os campeonatos possam ou não ser suspensos, isso a nós não nos diz muito. Aquilo que nós queremos na realidade, é que a verdade desportiva seja reposta! Que o HC Fão jogue na divisão a que de direito deveria estar a jogar nesta época corrente, não na 3ª Divisão mas sim na 2ª Divisão Norte. Isso é o que nós mais queremos. É o que nós vamos lutar e será até ao último recurso possível que da parte do clube levaremos isto até ao fim. A Federação tem que repor a verdade. Já o tentamos no início da época, não quis querer, agora saiu através do Tribunal Central Administrativo do Sul a decisão que dá razão ao CART e que acaba por indiretamente dar razão ao HC Fão.


A Federação neste momento já não pode recorrer…
- Não. A Federação neste momento não tem qualquer tipo de recurso possível em relação a esta decisão do Tribunal Central Administrativo do Sul.


O que espera agora da decisão da próxima reunião Federativa no dia 19 deste mês?
- Pelo que nós sabemos, a reunião da Federação sobre este caso, será numa reunião de Direção - penso eu do Conselho de Disciplina – para ser tomada uma decisão sobre como será a próxima época. Sei que é uma decisão difícil de resolver. Poderá ser por alargamento ou poderá ser por reposição da verdade, passando por descer o Gulpilhares e subindo o HC Fão. Não sei o que eles irão decidir. Sei que também não é fácil para eles mas o HC Fão só espera que seja reposta a verdade e mais nada. Doa a quem doer. O Gulpilhares poderá ser prejudicado com isto mas também foi beneficiado por terem jogado um ano aonde não deveria.


O HC Fão e o CART tem-se mantido em contacto?
- Sim. Tanto eu como o Presidente do CART, Lima Pereira, temos mantido o contacto. Eu ligava-lhe para perguntar se já havia decisões ou não. Entretanto as decisões sairam e ele acabou até por torna-las publicas. O próprio CART também quer que a verdade seja resposta. Foi também um clube que lutou pela verdade desportiva e mais concretamente, para limpar no fundo a imagem do clube que a Federação acabou por passar deles.


Para quem não está muito a par do que se passou. Isto tudo começou logo após o sorteio do Campeonato da época passada?
- Após o sorteio do campeonato, os clubes tem um timing - que a federação dá - para dizerem qual a hora oficial do jogo. Na 3ª Divisão, os jogos tem que ser oficialmente ao fim de semana. Só que a federação, devido à pouca quantidade de árbitros, pegou na 3ª Divisão e pô-la a jogar ao domingo e quem jogar ao domingo, não paga a taxa de organização. Se algum clube quiser jogar ao sábado poderá faze-lo mas implica ao pagamento de uma taxa de arbitragem extra.


E os dois clubes tem que estar de acordo…
- Tem que estar de acordo se o jogo for alterado de domingo para sábado. Se no início do campeonato eu dizer à federação que os nossos jogos em casa são ao sábado, por exemplo, às 21 horas, não é preciso acordo com o clube. Sábado ou Domingo é dia oficial para se realizar os jogos do Campeonato da 3ª Divisão. Sexta-feira é que não…


Que foi o que aconteceu com o HC Fão, logo na 2ª Jornada do campeonato, em casa do Gulpilhares.
- Mal saíram os calendários oficiais, o HC Fão deparou-se que o jogo da 2ª jornada contra o Gulpilhares, estava marcado para as 21 horas de sexta-feira. Enviamos logo um e-mail para a Federação, para o Comité Técnico de Hóquei em Patins, o qual me responderam que sim senhor estava marcado mas que para o jogo se realizar à sexta-feira, teria de haver acordo com os dois clubes. O acordo significa o quê: o preenchimento dum boletim de alteração de jogo, em que é preenchido com a hora oficial e para que dia e hora se quer marcar. É assinado e carimbado pelos dois clubes, é enviado para a federação pelos e-mails oficiais tanto dum clube como do outro e a Federação a partir daí faz a alteração do jogo.


Mas o HC Fão não acordou jogar na sexta-feira mas acabou por jogar.
- Na semana anterior ao jogo, o HC Fão mandou mais e-mails para o Comité Técnico a dizer que não concordava com o jogo à sexta-feira às 21 horas, em virtude de haver jogadores do HC Fão que trabalhavam. Tinhamos por exemplo um, o Carlos Mata, que acabou por ser o segundo melhor marcador do campeonato da época passada, que largava o trabalho às 20.30h para jogar às 21 horas. Não consigo entender como é que um jogador, ao fim de um turno de 8 horas de trabalho, ainda tem forças e capacidade para fazer um jogo de hóquei em patins. A Federação ignorou completamente o HC Fão! O jogo acabou por se realizar. Acabamos por perder o jogo até com uma arbitragem bastante tendenciosa mas pronto, no fundo são coisas que acontecem. E assim ficou.


Passou-se igual com o CART mas com desfecho diferente.
- O CARTaipense achou por bem não comparecer ao jogo. O jogo do CART em casa do Gulpilhares, já nas últimas jornadas do campeonato, estava marcado também ele para sexta-feira às 21 horas, sem acordo do CART. O club não compareceu ao jogo na sexta-feira. Compareceu no dia e hora oficial, que era no domingo às 18 horas. Quando lá chegou, não estava lá ninguém, como é óbvio que iria acontecer. Preencheu a ficha e foi-se embora. Na sexta-feira, o Gulpilhares fez a mesma coisa. Entrou em ringue com a equipa de arbitragem, esperaram os 15 minutos conforme os regulamentos e deram o jogo como concluído, tendo os árbitros marcado na ficha de jogo falta de comparência à equipa do CART.


O CART foi penalizado com derrota nesse jogo.
- Foi aberto um processo disciplinar pelo Conselho de Disciplina, que decidiu dar falta de comparência ao CART, derrota de 10-0 (atribuição dos 3 pontos ao Gulpilhares) e uma coima de 505 euros, ao qual o CART não aceitou e recorreu ao Tribunal Arbitral do Desporto. Com esta decisão o Gulpilhares ficava com mais 2 pontos que o HC Fão, passando o Gulpilhares para segundo lugar e o HC Fão para terceiro lugar no Campeonato.


Entretanto o campeonato acaba.
- O campeonato acabou. Entraram as férias. As trocas de e-mails com a Federação continuaram durante este tempo. Entretanto começaram a aparecer os e-mails da parte da Federação para a gente inscrever as equipas e começar a preparar a época seguinte. Ao qual o HC Fão se inscreveu e foi-nos dito que o nosso lugar era na 3ª Divisão. Nós acatamos a decisão, que era o remédio que nós tínhamos porque se o Clube não comparecesse aos jogos, ao fim de três faltas de comparência consecutivas, o clube é suspenso. Neste caso, para o ano o clube ficaria impedido de inscrever equipa sénior em nenhum escalão. Achamos por bem jogar, jogamos, tem sido difícil, tivemos um grande patrocinador que recuou, a ideia era a 2ª divisão e como tal, recuou nos valores. Depois acabamos por não aceitar os valores oferecidos e ficamos sem esse patrocinador, entre outros.


O HC Fão fez equipa a contar jogar na 2ª Divisão e não na 3ª?
- Sim. O protocolo que o HC Fão fez com aquele patrocinador era para a 2ª divisão nacional. Tivemos que acatar a decisão do patrocinador. Ficamos sem esse dinheiro e andamos uma época a jogar na 3ª divisão, sabendo de antemão que haveria algum tribunal de dar razão ao CART e ao HC Fão, e que a verdade se iria repor. Aconteceu agora e vamos lá ver o que vai acontecer.


O HC Fão e o CART tem tido o apoio da Associação de Patinagem do Minho?
- Eu só posso falar a 100% pelo HC Fão. Mas nem o HC Fão e quase de certeza, nem o CART, tiveram qualquer tipo de ajuda por parte da Associação de Patinagem do Minho. A APMinho, por si só também não poderia fazer muita coisa mas poderia pelo menos pressionar a federação e defender, principalmente, dois associados que é o HC Fão e o CARTaipense. Porque, quer queiramos quer não, a APMinho vive dos seus sócios que são os clubes e o dever da Associação é proteger os clubes associados dela. Não é isso que acontece. A Associação só se lembra dos clubes quando é para receber dinheiro ou quando necessita deles para fazer treinos da formação e da Seleção do Minho quando precisa do pavilhão. De resto a Associação não se recorda de nós, nós clubes mais pequenos.


Caso a decisão não saia até ao início da próxima época, o HC Fão vai fazer equipa para a 2ª ou para a 3ª Divisão?
- Este ano, digo já, custe o que custar, poderei por em causa o clube mas o HC Fão não jogará na 3ª Divisão! Se por ventura não sair qualquer decisão em tempo útil, o clube pagará a inscrição no início da época mas não comparecerá a qualquer jogo, se for na 3ª Divisão. Nem que com isso o clube seja suspenso. As miúdas da Patinagem, que são cerca de 80 miúdas, não tem culpa nenhuma disto, que é o que me faz muitas vezes pensar. Foi o que me fez pensar no ano passado em continuar para a frente. Mas este ano não o farei. Doa a quem doer, o HC Fão não fará um jogo na época de 2017/2018 na 3ª Divisão!




Decisão arriscada essa…
- Arriscada mas ponderada. Terá de ser tomada porque senão poderá acontecer exatamente o mesmo que aconteceu esta época. Andamos aqui a arrastar e depois de as coisas começarem, eu também compreendo, não é fácil chegar à beira de qualquer clube e dizer “não é aqui que jogas é acolá”. É preferível antes tomar essa decisão. E se houver a decisão de não jogar, à terceira jornada o clube é suspenso mas penso que os campeonatos param aí também mesmo para os outros clubes. E depois temos outro grave problema. Se houver a suspensão dos campeonatos, implica muita coisa. Implica protocolos por parte da Federação e do IPBJ, etc, que se fazem para receberem dinheiros que assim poderão não vir. Os campeonatos tem que ser realizados e homologados. A Federação homologou este campeonato da época de 2015/2016 da 3ª Divisão Nacional, com um processo a decorrer no Tribunal Arbitral do Desporto. Por isso, nunca deveria ter sido homologado esse campeonato. Mas é assim, sem a homologação desse campeonato, não se pode começar os da época seguinte. Por isso fez tudo á rebeldia dos clubes e agora tem que descalçar a bota.




O HC Fão e o CART sentem-se apoiados também pelos outros clubes da 3ª Divisão?
- Como é óbvio, os clubes não se pronunciam muito sobre isto, penso eu, por medo de algumas represálias da parte da Federação. Mas em conversas em off, todos os clubes com quem conversei, disseram logo que as coisas tem que ser como elas são, e a realidade é que o CART tem razão, e doa a quem doer, tem que ser reposta a verdade desportiva. Se me perguntar se compreendo a parte do Gulpilhares, compreendo perfeitamente. É um clube como outro qualquer. Jogou a 2ª Divisão indevidamente mas foi para lá que o colocaram e eu no lugar deles também teria jogado, como é óbvio.


Por:

Fernando Jorge Ferreira

FPP reage às noticias sobre os incidentes do jogo Portugal - Argentina



Comunicado à Imprensa da FPP

Terça-feira, 18 de abril de 2017

Em relação às notícias veiculadas sobre alguns acontecimentos na final da Taça das Nações.

Relativamente às notícias publicadas hoje por alguns órgãos de comunicação social sobre o jogo da final do Torneio de Montreux, a Federação de Patinagem de Portugal lamenta que os mesmos órgãos de comunicação social não dediquem o mesmo empenho e espaço nos seus jornais para as conquistas do Hóquei em Patins.
Reconhecemos que o talento dos jogadores argentinos é inegável. Mas o desportivismo de alguns desses jogadores deixa, por vezes, muito a desejar. O que em nada dignifica a classe dos jogadores.
Foi assim no último Campeonato do Mundo, realizado em 2015 em França, e voltou a ser assim na final da Taça das Nações, no passado domingo, em Montreux.
As provocações ao longo do jogo foram uma constante, perto e longe da bola, com o jogo parado ou a decorrer.
O momento de "celebração" do terceiro golo argentino frente à nossa selecção foi apenas mais um desses momentos. Desta feita - naquele instante - o nosso Seleccionador Nacional, Professor Luís Sénica, não conseguiu assistir passivamente ao que se passava, e em defesa dos seus atletas e da Selecção Nacional agiu pelo acumular das provocações já aludidas.
Existem momentos onde quem lidera tem que estar na primeira linha da defesa.
O Professor Luís Sénica foi cuspido, insultado e, inclusivamente ameaçado de morte. Reagiu com um movimento intimidatório, uma palmada na rede que nunca poderá ser entendido como agressão tendo em conta a amplitude do movimento da rede, apesar do "teatro" encenado por um jogador adversário. Da mesma forma, o murro que lhe foi dirigido também não passou de um impacto na rede.
A nossa selecção não venceu este Torneio de Montreux mas mostrou carácter, dignidade. Valores. O nosso Seleccionador Nacional prima a sua vida e carreira desportiva por valores onde a Ética e o Fair Play marcam presença, qualidades comprovadas ao longo de todo o seu trajecto.
A Federação de Patinagem de Portugal não deixa de repreender o ato irrefletido do Professor Luis Sénica com a certeza de que não voltará a acontecer, e não deixa de enaltecer o reconhecimento pelo próprio de que aquele momento não deveria ter existido e o pedido de desculpas apresentado a todo o grupo de trabalho e à Direção logo após o final do jogo.
A Federação de Patinagem de Portugal mantém completa e total confiança no seu Seleccionador e Director-Técnico Nacional, segura de que nem este, nem qualquer outro episódio, lhe irá alterar a conduta na defesa do Desporto como uma actividade de valores com elevado impacto social, devendo outros sim rever a sua postura quanto à ética, ao fair-play e ao desportivismo.

FPP - Federação de Patinagem de Portugal

Nacional de Iniciados - OC Barcelos vence APD Galegos


A equipa de Iniciados do OC Barcelos com o triunfo sobre a APD Galegos por 4-0, subiu à condição ao primeiro lugar da classificação.
Em jogo antecipado da 8ª jornada os minhotos com a vitoria somam dezasseis pontos, contra os quinze de FC Porto e AD Valongo e os onze do HC Braga.
Diante a APD Galegos valeram ao OC Barcelos os golos de Rafael Almeida e Luís Simões, dois cada, obtidos apenas na segunda parte do encontro.
A 8ª jornada fica completa dia 23 de abril com o HC Braga a deslocar-se a Valongo e o FC Porto a jogar em Paços de Ferreira.